Autor Tópico: SPORTING «O Sporting está a tornar o hábito de ganhar numa coisa normal» - Octáv  (Lida 845 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

men

  • Reformado Júnior
  • *
  • Agradecimentos
  • -Dados: 9
  • -Recebidos: 2
  • Mensagens: 103

«O Sporting está a tornar o hábito de ganhar numa coisa normal» - Octávio Machado

Após o sorteio da Taça da Liga realizado esta quarta-feira, que ditou o Paços de Ferreira, o Arouca e o Portimonense no grupo do Sporting, o grupo C, Octávio Machado garantiu que os leões vão assumir nos três jogos uma mentalidade vencedora.

«O Sporting entra nas competições para ganhar. A Taça da Liga é uma prova que merece todo o respeito e vamos dignificá-la. É uma prova competitiva na qual na fase final entram as melhores equipas... Estamos cá», começou por dizer o diretor-geral do clube leonino, em declarações aos jornalistas.

Questionado sobre se o facto de os leões terem perdido já duas finais nesta competição, frente a V. Setúbal e Benfica, Octávio Machado assegura que isso não terá peso sobre o plantel, que está apenas focado em vencer.

«Como disse, entramos para ganhar. O facto de ter perdido duas finais não quer dizer que perca a terceira. O Sporting está a tornar o hábito de ganhar numa coisa normal, em qualquer competição, e é nesse espírito que vamos continuar a temporada», respondeu.

Já relativamente à conquista de cinco Taças da Liga por Jorge Jesus, o diretor-geral do emblema de Alvalade considera um fator «importante»: «É um bom registo e é isso que queremos também fazer no Sporting, que as conquistas sejam uma normalidade e não algo que acontece por acaso.»

Por último, quando questionado sobre se os leões iriam voltar a optar pela utilização na Taça da Liga de jogadores com menos minutos, Octávio Machado deu a entender que essa será uma possibilidade para o clube.

«Na Taça da Liga um dos objetivos é fazer a gestão dos plantéis, muito mais nos clubes grandes que estão em todas as competições, mas já mostrámos que somos capazes de dar respostas positivas independentemente daquilo que são as nossas prioridades», concluiu.